Blockchain – A nova revolução tecnológica não será centralizada

Blockchain – A nova revolução tecnológica não será centralizada

Pedro Pinto – 11 Abr 2017

Blockchain, a tecnologia revolucionária por trás do Bitcoin, da plataforma Ethereum, do consórcio bancário R3, com base entre a parceria IBM-Maersk, do projeto em que a IBM, Walmart e a Universidade de Tsinghua procuram garantir que todos os chineses tenham acesso a comida saudável, ou da oferta de serviços Blockchain as a Service disponibilizado pela Microsoft Azure.

Mas afinal o que é o Blockchain?
Há livros, artigos em jornais e menções em revistas e muitos outros materiais de marketing um pouco por todo o lado, mas pouco é dito sobre o porquê de precisarmos de uma nova revolução tecnológica agora ou como pode um profissional fora das Tecnologias de Informação entrar neste admirável mundo novo, seja ao adoptar e contribuir para um dos muitos projetos já perfeitamente viáveis ou para criar algo novo, por si mesmo.

Quer deseje mudar o mundo ou forçar uma qualquer indústria a reimaginar-se, ou simplesmente pretenda adquirir uma nova perspectiva com a qual pode tentar resolver problemas antigos, teremos de começar pelo princípio.

Elevator Pitch

A Blockchain é uma base de dados segura e distribuída à escala planetária para os seus bens digitais.

Vou poupar aqueles que ainda não foram iniciados nas artes sagradas que são a matemática e a contabilidade, pois bastará dizer que não é coincidência que alguns dos mais antigos registos escritos sejam, basicamente, livros razão gravados em blocos de pedra.

Porque precisamos de uma nova revolução tecnológica

Penso que será óbvio para todos que desde que a Internet se tornou tão comum como a eletricidade, que as maiores inovações tecnológicas foram desenvolvidas para ela, nela, e por ela. Sem grande esforço podemos listar pelo menos a Cloud, o mobile, o comércio eletrónico, as redes sociais, streaming de música e vídeo, IoT e Big Data.

O problema é que estas tecnologias foram criadas para dar resposta a uma série de desafios que hoje já nos parecem banais e com requisitos de sistema hoje já bastante desfasados da nossa realidade.

Por exemplo, para aceder de forma segura a uma página na internet, precisamos de um computador com um sistema operativo e um browser, um servidor que traduza o nome de domínio para um endereço de IP, e pelo menos uma firewall e um servidor de páginas web com HTML, Javascript e CSS. E também é necessário ter um certificado emitido por uma qualquer empresa que os tipos que fizeram o meu browser dizem que é de confiança, mas só por um ano. Não, isto não é nem metade do que acontece na realidade.

A verdade é que andamos há anos a desenhar soluções que parecem bolos às camadas, mas em que cada camada e como um pedaço de história, um retrato de um tempo mais simples, com requisitos mais modestos.

A tecnologia assente em Blockchain não requer uma estrutura centralizada nem solicita a partilha de dados pessoais ou sequer que exista qualquer relação de confiança entre todas as partes envolvidas e, por outro lado, vem com conectividade de rede, encriptação, auditabilidade, permissões e time-stamping incluídos de raiz. Redes de dados instáveis não são um problema e não há necessidade de qualquer hardware novo ou de um protocolo, regulador ou empresas em especial.

Imaginem as possibilidades de uma Internet sem nomes nem intermediários ou servidores, mas sim baseada em autores e consumidores como pares numa rede P2P em que conteúdos originais e bens digitais são partilhados numa Blockchain em tempo real (protegidos por DRM, se necessário) e disponibilizados a consumidores autorizados diretamente nos seus dispositivos. Com as tecnologias de hoje seria praticamente impossível.

Descentralização, transparência radical, identidade individual soberana e cooperação sem confiança são temas que podem causar calafrios naqueles que ainda se reveem na política Francesa do século XVIII e as suas “alas”. Isto é um obstáculo real que está a atrasar o nosso desenvolvimento enquanto espécie, mas não é um problema exclusivo do Blockchain. Pessoalmente eu prefiro pensar no Blockchain como uma oportunidade para resolver problemas à escala dos nossos dias com soluções do nosso tempo. Eu quero lá saber de asas, eu quero é um jetpack!

Capacidades técnicas

Estas são as capacidades de produto e opções arquitectónicas que são únicas, nesta combinação, o Blockchain.

Modelos descentralizado e de propriedade distribuída
Mecanismos de consenso sem confiança que permite cooperação entre “inimigos” para ganhos mútuos
Base de dados protegida contra adulterações
Rasto auditável imutável e transações não repudiáveis
Formato de dados tipo livro razão em que só é permitido ler e adicionar novos registos (não alterar ou apagar)
Escalabilidade e tolerância de erros cloud-native
Time-stamping seguro
Assinaturas criptográficas e comunicação Peer to Peer como parte central da arquitetura
Quando analiso soluções baseadas em Blockchain, procuro focar-me nas capacidades acima descritas em vez de olhar para o nome do produto ou o código e tecnologia incluída. Desta maneira não corro o risco de ser cego pela ciência ou pelo hype.

Por exemplo, se me pedissem para desenhar uma solução onde a edição de dados fosse um requisito de negócio jamais consideraria criar uma frankenchain. Se, por outro lado o que me é pedido para criar uma solução de master data management para a escala da Indústria 4.0, conseguiria facilmente mapear os desafios de escalabilidade, propriedade, linhagem, privacidade, alta disponibilidade e confiança as características apresentadas por uma solução Blockchain.

Usando este mesmo método, vamos agora olhar analisar algumas indústrias cujos desafios chave parecem destinados a ser resolvidos com tecnologias Blockchain e irei também incluir algumas das empresas e iniciativas que me parecem valer a pena seguir de perto.

Verticais de Industria a espera de uma revolução

Industria financeira

Desafios chave: Arbitragem, clearance, reconciliação, remittance, interoperabilidade, confiança, transparência, ética.
Fique de olho em: Bitcoin, a Chain da NASDAQ, Bitstamp para troca de moeda e GridSingularity para trading de energia, Ripple para reconciliação bancaria internacional, a Stellar para todos os que não tem serviços bancários disponíveis.
Governo e governance

Desafios chave: Privacidade, confidencialidade, cooperação com “inimigos”, fonte única da verdade, propriedade (ownership) e confiança.
Fique de olho em: a BenBen que faz o registo fundiário em Gana, enquanto na Suécia a ChromaWay faz o mesmo. A Estónia continua a frente de todos os outros, claro. A Recruit pode assegurar as suas credenciais escolares, porque nem todos somos cirurgiões de foguetes ou neuro-economistas mas talvez você seja e um empregador deveria poder verifica-lo facilmente.
Saúde

Desafios chave: Privacidade, confidencialidade, fonte única da verdade, economias de escala invertidas devido a obrigações regulatórias e legais.
Fique de olho em: Estónia, EUA (de novo), parceria Gem Health e Phillips, Bits + Blocks Harvard Innovation Lab. Tierion ganhou um prémio Phillips Blockchain Lab nesta categoria.
Propriedade Intelectual

Desafios chave: Atribuição, gestão de direitos digitais, distribuição, intermediários, falsificação.
Fique de olho em: Resonate para musica, Ownage para jogos video, e Ascribe para obras de arte.
Gestão de Identidade

Desafios chave: Privacidade, confidencialidade, fonte única da verdade, confiança.
Fique de olho em: Synereo para atribuicão de conteúdos parilhados em redes sociais, Backfeed para gestão reputacional, Tradle para processos KYC, Uport para autenticação na web sem passwords, enquanto que a Authenteq e a EtherRe.al estão na vanguarda da identidade individual soberana.
Infraestrutura tecnológica

Desafios chave: Imutabilidade, confidencialidade, escala, segurança, confiança.
Fique de olho em: a BigchainDB que é claramente a melhor solucao para gestão de dados nesta escala, a Namecoin que resolve DNS a escala de IoT e Industry 4.0, a Ethereum que em breve sera o maior fog computer do mundo, a Interledger que é a melhor solucao para integrar diferentes blockchains. Se procura uma solução PKI, a Pomcor seria um bom começo de investigação. Por último, e para os mais geeksentre nos, vale a pena conhecer a tecnologia Thunder.
Industria Seguradora

Desafios chave: Confiança, transparência, risco, gestão de sinistros.
Fique de olho em: Mercados digitais para seguros e startups com ofertas de seguros Peer-to-Peer. A Tierion tem algumas boas ideias neste espaço.
Gestão Logistica

Desafios chave: Ética, origem (sourcing), rastreabilidade, fraude, conformidade legal.
Fique de olho em: A parceria IBM-Maersk parece realmente interessante. A Provenance esta a tentar combater a fraude e acabar com os diamantes de sangue, por isso merecem uma menção especial. A Chronicled tem por objectivo facilitar a transparência e confiança nas supply chain de Retalho, ou acabar com as sweat-shops, se preferir.
Ainda há poucas semanas, o escândalo com a carne Brasileira causou uma queda vertiginosa nas exportações com os volumes diários a cairem dos 63 Milhões de Dólares para… os 74 mil. Quatro milhões de pessoas têm os seus empregos em risco e esta é uma tecnologia que os pode ajudar. Mas não é só o Brasil, a Amazon tem um problema grave com falsificações que poderia ser aliviado com rastreamento digital de proveniência e uma solução baseada em Blockchain para bens e produtos com exactamente as mesmas características poderá muito bem ser a resposta certa para fazer o comercio internacional prosperar, mesmo se aparecerem novos muros, fronteiras e restrições alfandegárias.

Oportunidades de disrupção

Fico contente que tenha lido este artigo até aqui. Como agradecimento pelo tempo investido, quero partilhar algumas ideias de negócio onde a equipa certa poderá ter um impacto real e significativo usando tecnologias Blockchain. Um impacto à escala planetária.

Brexit – A Cidade de Londres é responsável por cerca de 70% de toda a atividade de compensação e liquidação na euro-área, dentro da União Europeia. Esta situação não será sustentável agora que os Britânicos escolheram sair da União e deixar também a jurisdição do Tribunal de Justiça Europeu. Podemos tentar replicar os sistemas actuais num novo país, OU, podemos criar um sistema de compensação e liquidação internacional baseado em Bitcoin e mudar o mundo!

Estamos a falar de um mercado que processa biliões de euros por dia em transações. Todo este processamento poderá muito bem continuar a ser feito a partir de um qualquer datacenter num qualquer país dentro da União com uma jurisdição própria mas pago com os impostos de todos nós ou, alternativamente, poderíamos criar uma rede europeia de “mineiros”, todos nós parceiros da União Europeia, a partilhar equitativamente os incentivos financeiros inerentes a participação voluntária numa rede Blockchain, de maneira que todos seriam incentivados a cooperar no sucesso da iniciativa e, simultaneamente, a partilhar os lucros. Essencialmente, esta poderia ser a fundação para um Rendimento Básico Universal que se paga a si mesmo e fornece um serviço de alto valor ao mercado.

Digital Job Twins – A falta de conhecimento empírico e experiência profissional em praticamente todas as áreas de trabalho e funções empresariais está a atrasar o desenvolvimento do Blockchain. Acredito plenamente que, com açúcar e cafeína suficientes, qualquer startup faz magia, mas será quando os contabilistas, os especialistas de logística, os notários, e os que mais se começarem a envolver-se e a descobrir o que podem fazer com esta tecnologia que veremos o mesmo impacto disruptor no mercado de trabalho que a Internet teve no princípio do século. Esta é uma tarefa para a #teamHuman!

Próximos passos

Espero ter despertado alguma da sua curiosidade e que agora esteja a pensar nos vários aspectos da sua vida quotidiana e da sua área de trabalho que poderiam ser transformados por alguém exatamente como você.

Assim sendo, o seu próximo passo será ver o excelente video abaixo que demonstra a Blockchain em ação, enquanto interioriza tudo o que leu. Pense em todas as possibilidades, sonhe em grande! Veja uma demonstração criada por Anders Brownworth relativamente à tecnologia Blockchain.

Não pretendo ofender ninguém na Industria Financeira, claro, no entanto esta é a minha experiência de anos de trabalho numa industria construída de raiz com base na falta de confiança.

Fonte: https://pplware.sapo.pt/informacao/blockchain-nova-revolucao-tecnologica-nao-sera-centralizada/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *